sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Ternura!



Depois da última tempestade
Aprendi a apreciar as calmarias silenciosas...
as águas das mansas garoas  
nestas noites tropicais...
As longas  prosas
Seguidas de risos bem bobinhos!

É, o bom da vida deve ser assim...

Alguma coisa entre um poema, uma série na TV
Ou amanhecer falando amenidades
Ou quem sabe ficar à vontade, sob os sons da noite...
Alguma coisa além dos romances de folhetim
 - tragicomédias bem narradas
Em palavras de festim...

Sentir, então, deve de ser bom assim:
Sem grandes elos complicados
Só uma bonita aquarela para pintar o dia!
Corações entrelaçados
Desenhar sorrisos de alegria
Caminhar em par com a paz e a poesia...

Mas, até que a gente descubra esse exótico mistério
O Universo faz troça da nossa pouca experiência com o caos
De um coração que só nasceu para bater forte
Confunde antídotos poderosos com venenos
Afinal, somos questão de dose: o bom e o mau.
E haja alma para sustentar os cortes!

- Ser gente é mesmo assustadoramente abissal - 

E ainda hoje bem disseram, como o mundo vai mal...
É que há quem esqueça de tirar a máscara após o carnaval
E até quem ria de quem fez chorar...
Confesso, tenho pouco anticorpos para esse tipo de loucura
é que, de tanta poesia, o universo que habito

Só sabe reconhecer o que é feito de ternura.

#

Graças a Deus, apesar de tanta coisa chata no noticiário, da política cada vez mais segregadora, reflexo das pessoas...ainda há espaço para falar e fazer coisas bonitas.
Um amanhecer cheio da melhor versão de nós. :)

LUZ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário