domingo, 30 de abril de 2017

Explicação

Imagem do filme "Nuestros amantes"

Foi por teu riso aberto
Naquele banco de praça
O rastro sutil de perfume
E as confissões ditas 
Antes de saber teu nome...

Foi por tua alma
Doce e dispersa
Apresentada sem metáforas
E o jeito terno e macio
Com que me abraças...

Foi a louca ternura
Com que nos beijamos 
Depois de dividir
No terço do segundo
As dores do mundo

E de como imaginamos
Em um loop sem jeito
A paranóia vulgar gostosa
De como Bukowski
Chama sua dama ao leito

Foi por tua alma 
Cheia de clichês 
Em meio a risos sem sentido
E por nosso Adeus tão demodé
Por quem me apaixonei...

#

" As vezes, quando se escreve um roteiro
é difícil saber quando parar..."  
Frase do filme "Nuestros amantes", que deu o tom e a inspiração a este poema. 
Melhor comédia romântica que assisti nos últimos meses!!!
Assista se gostar de "paixão morando na filosofia" . :)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Hoje, a humanidade me venceu ( Devaneio da Velha boba)



Esta poeta traz as mãos cansadas de parir palavras. Emoções, quando nascem das mãos, têm o dom de puxar um pouco da alma. E haja papel, lápis, caneta, caderno. Enfim. Escrevo porque esta é uma declaração quase inconteste: Ei, humanidade: hoje,você venceu. Mas este não é um bilhete suicida ou coisa do tipo.  Na verdade, são apenas linhas e digressões sobre sonhos que ganharam outros rumos, na curva do espaço. Sonhos que navegaram para longe...

Escrevo porque hoje, 28.04,  é dia de greve geral no meu país. Pleiteia-se muita coisa importante, principalmente, a manutenção de direitos trabalhistas e dos direitos previdenciários, tais como estão. As pessoas estão nas ruas, pelo direito de viver e de sonhar. Sobre esses direitos,  faço analogia da situação àquela canção "todo mundo tá relendo o que nunca foi lido...tá na caras, tá na capa da revista´.

Junto a isso, a festa do judiciário está nas delícias da  delação premiada, que por aqui, virou fofoca de vizinho, de tão banal: é, Sr, K, não apareça, por aqui, "Qualquer coisa que se mova é um alvo e ninguém tá salvo". Recentemente, acompanhei o caso de uma pessoa que deu um tiro na cabeça porque, ainda em fase de investigação, teve sua vida achincalhada, com direito ao "circo" que alimenta o "teatro dos vampiros". 

Os vampiros?  Eu, você. Gente comum que senta e assiste TV e sente um prazer sobre-humano em ver a crueldade estampada, a violência. "Ah, eles merecem"...merecem? e se não merecerem?  isto aqui - esta merda - ainda tem um poder Judiciário, não é novela da Rede Globo. Precisa de procedimento.

Escrevo também porque, no meio da ida ao trabalho,  fui assustada por uma ultrapassagem irregular (das muitas que acontecem no meu dia) e foi bem,bem medonho .Um idiota com pressa, sem respeitar o limite de 50 km das vias públicas dentro da cidade. 

50 km! Imbecil. Estava com aproximadamente 100 km. Mas, o que importa? como não foi pego, vai sentar e assistir à TV e ficar feliz com qualquer novo espetáculo, o sangre e as vidas derramadas. Como todos os demais: gente que coopera em licitações fraudulentas, gente que realiza caixa dois em transações,  gente que sonega impostos...



A verdade é que não imagino mais como ter um filho e explicar para ele as verdades que me foram ditas na infância: que ele precisa estudar, ser correto, não ferir seu semelhante, não roubar e não digredir as leis! Na prática, fora do politicamente correto, ninguém aqui gosta de fazer o 'certo'. Talvez seja da natureza da humanidade: a parcialidade e o egoísmo inerente: não há preocupação em não ferir o semelhante, pois não nos reconhecemos: inimigos não veem semelhanças. E, por isso, não há patrões nas manifestações. E há tanto jogo e desconfiança das pessoas em aderir: não se sabe em quem confiar.

Dia desses, presenciei na fila do pão uma pessoa se vangloriar de pagar "cinquentinha" para ser liberado depois de dirigir com o IPVA atrasado. Bosta de Estado. Te coage a pagar: A propina, o IPVA que será desviado. Bosta de pessoas. Formam o Estado da eterna conivência: se eu não for pego, não é errado:  Errado, nesse país, é ser pego!!!

No meio dessa loucura aleatória aqui, todo mundo é uma bomba-relógio: explosão ou implosão. Tudo é terrorismo.

Mas, espero pela Nossa Senhora Mãe dos Poetas, que você que meu leu, não se sinta cansado. E que a pequena guerra, hoje perdida, amanhã seja moção para um mundo melhor, tão melhor...que eu nem sei descrever nisso aqui. Que eu não sou capaz de sonhar. Porque ainda está sendo preparado, no coração de um SER, uma força bondosa superior, que bem que pode ser uma reunião entre MARIA, MAOMÉ, JESUS, OXALÁ, KRISHNA, BUDA, e tantos outros...


LUZ!




quarta-feira, 26 de abril de 2017

Despedida



Nada é o que foi outrora
E o último verão do teu olhar se foi
É tarde, o sol cai,
 E leva consigo esta poesia triste.

Parte.

Tristeza tem muitas formas de ser:
Eis o mistério de sentir.
Esta calma e lânguida certeza
É sua veste.

Não faço caso, deixo o instante
Ter sua própria sutileza
Tudo é mesmo dor e beleza
E o caos é apenas parte do mistério.

Voe com suas vestes
 e seu coração insular
Não mande mensagens do lado de lá
Siga a sua luz particular.

Adeus.

#

De uma ação de divórcio que aconteceu,
Permitam-me compartilhar a dor, tão natural à humanidade, da despedida.
Impossível separar o 'coração de poesia' da vida, do trabalho, do cotidiano..
No mais, lembro o poeta: "Aos amores impossíveis...tempo".


LUZ!

terça-feira, 25 de abril de 2017

Romance


Quero que teu beijo dure
Mil e um poemas
Dentro do meu mundo

E descobrir 
O que há em ti
Que encanta e aquece.

Sustentar o teu olhar
Enrubescer de afeto
Saber que estar contigo
é justo e certo...

Ser tua (na)morada!
O lugar onde repousas
Tua alma, teu corpo
Tua jornada.

#


Já tinha encerrado por aqui, mas estou lendo "Romance", de Milan Kundera...aí, pensei no amor, como acho que deve ser...em paz. :)

LUZ!

Versos Livres



Este poema chegou atrasado
Ao encontro com a erudição.

Mas, o que sabem os poetas
Da burocracia da palavra?
Como entenderia a norma culta
A emoção da rima solta?

livre estrada...

Teria o beija-flor hora exata?
O que sabe de convenção
A teimosa flor que brotou
Na calçada?

A vida, meu senhor; é revolucionária.

Enraiza e nasce
Onde menos se espera!
Faz da certeza mera quimera
Se esmera em surpreender...

E se faltam-lhe modos
Sobra-lhe deslumbre! 
Veja: Dama-da-noite é mulher faceira
Mas, é também flor cheia de perfume.

#

Confessionário Poético (Crônica-Poema)



Quase disse a Drummond que a palavra viva é meu dom.
Mas, também, minha maldição (Como toda poeta errante,  não sei distinguir)
E que chorei, sentada no chão, depois de ir ter com Clarice, tão comovida
Com seu menino escurinho, que pedia doces.

Dia desses, acordei, plena madrugada, só para conversar com Rubem
Sobre ipês, Ostras, pérolas e luas, e nestas mesmas horas, sussurrei a Neruda
Que para nascer, também nasci. Mas morri muitas vezes  para viver…

Notívaga como Bispo, de papo com as rosas (bêbadas ou de jardim), como Alcy.
Acho que tropecei na mesma pedra dos pés do poeta, Carlos 
(sempre,novamente, aqui)

Confesso que, dia desses, quase tiro Alcinea de dentro daquela paisagem antiga
- Só para conversar, tomar um café. 
E até pedi a Maria Ester para me explicar sobre encontros e desencontros, 
nós, que sempre perdemos a hora.

(Por Deus, sorte e poesia,  posso mesmo fazer isso)

É que ando tão cansada.
E nesses dias, a poesia salva. A palavra redime e limpa.
Torno a ser  Quem sou  – esse bicho humano, lívido,com fome e com sede,
Cheio de amor. Esse formato inexato, perdido entre  filosofia, livros e cactos
- Várias vezes confessei a Martha: Acho que também não sou daqui.

#


*Foi porque me influenciei muito por Isnard Lima, a quem a poesia tinha muito de prosa.
Isso me disse minha amiga Ester, que felizmente, está na vida e no poema.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Àquele Sorriso ( Por Isnard Lima)

Sinto um leve tremor nas mãos. Não sei porque essa ânsia boba de te escrever. Não gosto de ser fútil. O fútil me deprime. E tenho a impressão de que estou sendo.Isso é terrível.
Escrevo sabendo que vais me ler. Saberás que sou eu. Entre todas as outras, e várias passaram por mim, foste a escolhida. Foi a madrugada que me trouxe essa vontade. O silêncio da noite, as estrelas no céu...Notaste o verão? foi ele, também. Verão que tanto amo: que às vezes faz poesia em teus cabelos, de mistura com o vento.
Lembro teus olhos castanhos e o porte de manequim. Não me esqueço de tua voz, nem das mãos, brancas e lindas.
Por tudo isso é que existe um soluço enorme, ao redor. Soluço cansado de correr o mundo. Parou pelos bares, andou nas esquinas e, agora,retorna. Eu me vejo neste soluço. Enxergo-me, até. Não sei quando ele me abandonará. Mas, de tudo aquilo que passou, resta uma ternura adocicada. E, onde estiveres, sorrirás de leve, lá no íntimo, aquele sorriso tão teu. Sorriso que me fez ver miríades de estrelas, dentro das noites mais escuras.

* Publicado no livro "Malabar Azul", p. 56.
Amor por crônicas, contos e poesias dos mais que talentosos modernos poetas do Amapá.
<3 

domingo, 23 de abril de 2017

Por ti (De Alcinéa Cavalcante)


Gosto de ser assim
Livre
Sem relógio
Sem telefone
Sem hora de partir
Ou de voltar...
Gosto de ser assim:
Livre
Não ter que dizer
Estou aqui
Vou ali
Irei acolá
Gosto de ser assim:
Livre.
Sem hora marcada
Pra dormir
Acordar
Comer 
Passear
Cantar
Trabahar
Mas, se me quiseres
Compro um relógio
E um celular
 Organizo o tempo
 E até aprendo a cozinhar.


Amor por um poema. <3

Luz!

Trem bala, de Ana Vilela.




Para deixar o dia perfeito a canção mais linda que a nova geração da MPB conseguiu produzir nos últimos dois,três anos...<3 <3 <3 



quarta-feira, 19 de abril de 2017

Notas sobre o amor *


Então 
Deve ser assim  o amor: 
Eu deixo espaço a mais
 no cobertor

E nescafé na xícara
Com água quente no fogão
E até perco o medo
de segurar em tua mão...

Faço pipoca e  chamo
Para o cinema
E umas rimas para completar
teu poema

De tanta coisa
Doida e simples
 sou capaz
Só para te fazer feliz...

E os dias nunca são iguais
mesmo as coisas mais banais
são melhores
Quando estás 

Aqui.

#

* De uma conversa sobre as coisas simples do amor...
:)

terça-feira, 18 de abril de 2017

Lúcia vai ser DELEGADA (Para o dia da Leitura Infantil, uma reflexão)


Ouço delicadas palmas do lado de fora e, da janela, encontro Lúcia, sorridente, em uma enorme bicicleta, tão maior que seu corpinho magro.
- Oi, cadê a Zoé? (Lúcia ama cachorros e, por acaso do destino, um dia bateu-me à porta e virou imediatamente amiga de Zoé, minha filhota de quatro patas). Brinca com Zoé e, minutos depois, senta-se comigo à mesa para tomamos café.
Isso se tornou frequente em nossas vidas. Nesses momentos, ouço Lúcia falar de si e seu cotidiano e, através dela, sei o que é ter onze anos e viver em volta de uma comunidade que, mesmo que ao meu lado, tem um tempo e espaço (urbano, inclusive) diferenciado.
Vou apresentar Lúcia para vocês. Lúcia é uma criança de 11 anos, morena, cabelos e olhos negros e enorme sorriso. É baixinha e magrinha para sua idade. Mora no bairro das pedrinhas, dentro de uma área de ressaca e estuda na escola pública aqui ao lado.
Lúcia não sabe ler -  apesar de hoje ser o dia do livro infantil e só faltar a ela poucos anos para sair desta fase mágica - Mas adora quando abro meus livros de ‘adulto’ e enfeito as páginas com palavras, contando a ela de outras realidades, tão mais mágicas.
Seu pai, trabalhador de uma das madeireiras, tradicionalmente alocadas no canal das pedrinhas, sofreu um acidente ano passado e perdeu a mobilidade. Não consegue andar, senão com o uso de muletas. A mãe, até então uma senhora do lar, ocupada com seis filhos, não soube o que fazer, passou a trabalhar como diarista.
Apesar disso, Lúcia diz que seus pais se tratam bem e que ela os ama. Conversa vai, conversa vem, certa vez, Lúcia confidenciou, quase envergonhada, que sonha ser uma DELEGADA, que em suas palavras, é pessoa importante, que realiza AUDIÊNCIAS.
Sempre que vem aqui, lemos um livro. Hoje, li para ela “ Cinderela”, porque é bonito ver seus olhos iluminados por mundos mágicos. Mas também já contei a ela umas histórias de mulheres fortes, como Frida Kahlo, a artista maravilhosa que fez de sua dor uma incrível obra de arte; de Mulan, a jovem guerreira que revolucionou a China e mesmo de Malala, a menina que queria estudar.
Quando Lúcia toca nos livros, sua reação quase envergonhada aperta-me a garganta. E sinto-me tão culpada por fazer parte deste sistema, por não conseguir mudar, em um passe de magia  ( no reverso dos livros infantis, não sou tão boa fada madrinha)sua realidade…sei que parte de sua vergonha é minha também. Mas eu conto a ela só o lúdico que tem dentro dessas páginas e espero que ela encontre nas histórias e estórias que ‘lemos’ um alento ou incentivo.
Depois, ela vai embora, sempre sorridente, apesar dos medos. É que ela relata que, há meses, as crianças do entorno têm medo de andar na rua, pois alguns veículos param na esquina de sua casa e de sua escola, oferecendo balas e dinheiro para que as meninas entrem nestes. Até mesmo me relatou que já saiu correndo, dia desses, para dentro da escola, pois este veículo parou ao seu lado.
Sei que pode ser apenas o imaginário ativo de uma menina de onze anos, mas não duvido de que seja verdade, pois, já disse o poeta, ‘o mundo anda tão complicado’.
Lúcia não sabe ler, mas já sabe fugir de veículos que oferecem doces e trocados às meninas de sua idade. E, como desconhece os meios de frear essa violência, que para ela é seu ‘bicho papão’ da vida real, ela sonha:

Lúcia vai ser DELEGADA.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Comentários a respeito da felicidade*



Felicidade é instante
Queima, na ponta dos dedos
Felicidade, poeta
É realmente quente

(a gente sabe,
O peito sente)

Felicidade é estrela
- Cadente
É o desejo atendido
Uma prece,

É rosa rubra que floresce

Num dia nublado de abril! ...

#



Hoje, recebi no universo profissional, uma alegria enorme! 
E no coração, uma flor nasceu.
Como sempre, eu agradeço e ouço. 
A canção da minha vida! <3

LUZ!

terça-feira, 11 de abril de 2017

Instante


O rio lavou a dor
E o vento manso, levou
à brisa do Oceano
 Todo dano
Se desfez...

Nas águas calmas
De um tempo sem maré
Sigo em paz
Mas sem rumo, 
Vou na fé...

Sorrio para borboletas
Alço voo junto às andorinhas
Só para fazer o verão!
Quem sabe ver
 nascer uma emoção...

Sem malas ou mágoas,
Gosto de estar assim
- tão minha, doce fantasia!
E sonhar sonhos de vida mansa
Enamorada da alegria.

#

:
" Me dá tua palavra
Sussurra em meu ouvido
Só o que me interessa"

domingo, 9 de abril de 2017

Voltei


Desfiz os rodamoinhos
Recriei a paisagem
Com giz de cera!
Alimentei de doce ilusão
e voltei pra casa.

Escuta, amor, que estou aqui
Coração batendo acelerado
Cabeça entontecida de vinho
e umas preces tortas
feitas no caminho...

Desfiz e fiz com teu olhar 
Castanhos mares, bem sei!
Mas, só Deus sabe os nossos desatinos
Os medos e erros no caminho
E o tanto que te amei.

Escuta, amor, que voltei
Apenas pra caber no teu abraço
Receber o melhor do teu calor...
E trouxe nos pulsos pequenos recados
Poemas trôpegos de amor...

#


A mensagem mais doce: Sejam piegas.
Nunca deixará de valer à pena.
<3



quarta-feira, 5 de abril de 2017

Confissões da Louca



Leio cartas que nunca recebi
Ontem mesmo conversei com as nuvens
Sei os nomes de cada flor no jardim
Ah! sou mesmo uma mulher e uma louca...

Tropecei com a sensatez dia desses
Parecia triste, velha e frugal demais
Assustei-me! Saí correndo
Deve ser assim o mundo real...

Mas cansei de antigas manias
Quero novos erros: 
Novos sabores e venenos
Já que estou viva:  carne e pensamento
-Vou beber o momento.

Ah! o arrepio das loucuras novas,
Trago a urgência de vida
Como quem fuma o último cigarro
E a dolência abismada do recém-nascido
Que descobre o mundo

-Mas desconhece-lhe o fado.



terça-feira, 4 de abril de 2017

Das levezas



É pouco a pouco
Que as andorinhas fazem o verão
E o vento frio que sopra
Veio de longe, de outra estação,

Sigo os passos da natureza
Sem apressar o ritmo do coração
Vai que na dobra daquela esquina
encontro o teu sorriso! 

Seguro em tua mão...

O relógio da catedral toca às sete
- o tempo faz sua parte, Passa!
Sonho com o teu sorriso
E  a solidão se achega e abraça...

Mas sorrio, danço,canto
Faço graça desse sentimento!
- é que depois de chorar um mar inteiro
Não tenho espaço para o sofrimento.

Espero as curvas do luar
...sinto  o vento!
Sou mais leve que a pluma
E trago amor no pensamento.

#