domingo, 30 de setembro de 2018

Interestelar!



Nunca perguntei para o mar
Porque as ondas vão e vem
Nem pedi a um vagão de trem
Para ir no avesso da jornada! - Interestelar:
 As coisas são o que naturalmente são!

Ou a gente segue o vento ou muda a direção...

A vida é feito morar em uma caótica casa
Com 7 bilhões de habitantes
E ver o coração se arrebentar de amor
Por umas 10 ou 20  pessoas na jornada
E compreender a efemeridade de não saber nada...

Ah! 

Mas os dez  ou mais corações
Pelos quais bate o meu compasso
Fazem valer à pena cada passo dado!
Por isso, bem disse a poeta:
Viver é ser quem caminha ao nosso lado...

Mas... é também os calos e o calor
De tudo que a gente sente ou doou
À esta imensa casa, nosso planeta!
Pois sei que vim, humana e imperfeita
Crescer, contribuir, servir...e amar!

Depois, voltar p´ra casa nas asas de um cometa...

#



'' Cada átomo de seu corpo veio de uma estrela que explodiu. Os átomos de sua mão esquerda provavelmente vieram de uma estrela diferente da dos átomos da sua mão direita. Essa é a coisa mais poética que eu conheço sobre física: vocês são todos poeira das estrelas'' -  L. Krauss

*Frase republicada de 01.01.2016.


LUZ! -  e caos das estrelas, de onde nasce toda a vida.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Nano e Nana, únicos!


Eles não se chamam Nano e Nana.

Eram namorados e amantes, unidos pela força do Universo.
Eles sabem do que importa, no amor: é ser plural,
Em dois.

Ela é a pequena parte do Universo que faz com que o coração dele se mova para viver. Por isso, é o amor de sua vida.

Ele, é quem atravessou os tempos segurando em sua mão. Por isso, é o amor de sua vida.

Eles não são únicos no mundo, sabem que aqui é lugar de bilhões. Mas são únicos um para o outro e, na tenra adolescência, aos 60 anos,  saem às escondidas para contar as doces novidades da vida, eis que são amigos...e namorar.

Certo dia, descobriram que as nanopartículas são as partículas essenciais. Desde então, chamam-se de Nana e Nano. E são exatamente isso, no pequeno imenso Universo de amor que criaram.

E isso poderia só ser um microconto, talvez até coisa simples demais para caber a profundidade de duas vidas. Mas é mais que isso.É milagre de amor, a força mais poderosa que podemos construir e uma das coisas mais que lindas pelas quais vale à pena viver.

#


*Para a querida Cláudia, que trouxe para a minha vida, com sua história de amor, um pouco da fé nas coisas incontestes que embaçam, na fina poeira do cotidiano: a pluralidade de afeto o amor entre um casal...é uma entropia mágica.

*E para você, que fez esse conto ser simplesmente a página mais visitada do aluanaodorme nos últimos 15 dias, com mais de 210 acessos apenas neste texto, em tão pouco tempo.

* E porque amor é isso: um encanto que chama, e que é chama, sem queimar.

LUZ!!!

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Wave*


Coloco o coração a serviço da vida
Soldado abatido no solo da loucura
Ainda enterneço quando nasce uma flor nova no jardim...
- Será que alguém me explicará para mim?
Talvez, nunca compreenda.

Mas, a lágrima é sentida
E, longe das grandes avenidas
Com seus conglomerados e executivos,
Ecoa um gemido...de dor

Pessoas sentem fome
Crianças nascem e morrem
Meu país desigual parece tão segmentado
Como se até mesmo Deus tivesse um lado...
(Perdoa-me, meu bom senhor...)

O mundo anda tão acelerado em seu giro!  
Tonteio, sei que corro perigo
Pois gosto da estação das borboletas
E paro para olhar as noite
 com sua imensa lua amarela...

(Nestas horas, percebo o quanto sou...pequena)

É, a gente sempre acha que tem 
Entendimento do movimento
Como se a vida e seu vitral maluco
Nos desse salvo-conduto
Para explicar o inaceitável inexplicável...

São difíceis os tempos.

E eu esqueço as chaves e perco a hora
E sinto toda dor que escorre no noticiário
Não gosto de injustiça, mas já não busco culpados
Quero apenas ser parte do que faz da vida uma forma de arte
E sentir o vento lentamente mudar a direção...

Mundo cão, mas...lar dos meus amores!
Todos os dias faço uma prece  no  jardim
Brinco que sou um girassol desengonçado,
Mas não esqueço meu jardineiro maluco que,
Com todo cuidado, disse que sou sua rosa de abril...

É, caminho. Sei, estou perdida.
Mas quem será que não está?
Loucos, desequilibristas: poetas são tão enternurados!
E, por todo lado, sentem a tragédia e a magia
De olhar estrelas e mergulhar no passeio de sua luz

Tudo que é força reluz!

 ainda que  bilhões de anos daqui...

#



*Sentimento de insignificância frente ao Universo, descrito na linha inglesa.


terça-feira, 25 de setembro de 2018

Da mística do rio em mim



Aos sete anos, eu e o rio ficamos a sós
Pela primeira vez: 
 Fazia sol e o Igarapé da Fortaleza brilhava
A paisagem luzia entre marrom e verde
Meu pai soltou da minha mão e disse:

'Vai,confia na maré...'

Depois disso, fui deseducada de ir com o vento
e ensinada a ir contra todo movimento
Que tenta me levar involuntariamente!
eu, conscientemente, decido meus caminhos.

Foi assim, o encontro do eu-sozinho
e a imensidão da doçura misteriosa marrom
Juntos, fizemos muitas descobertas
sobre a natureza e as coisas que precisam ser vivas,

 líquidas, despertas.

Dei então de achar que era peixe, 
desafiar meu pequeno tamanho
atravessar espaços maiores que meu braço
e, por pouco, quase não me perco em seu leito largo

...fui resgatada da fúria das águas por meu irmão.

Depois disso, reverencio Iara
Peço permissão para entrar em sua casa,
obedeço a força do que é de ser 
Em cada mínima partícula... 

Assim, entendi que mesmo a beleza tem limites
Que toda natureza precisa ser respeitada
E que, a depender da dose, 
A mesma coisa que traz vida

 leva, desertifica ou mata.

Porém, quando tenho medo da imensidão
ou, a pele mais fina pede ao vento proteção
Lembro da voz doce de meu pai, 
Que sopra e diz junto às ondas do Amazonas

Vai, confia na maré...'

#




Lições de meu pai e as marés de equinócio, fazem poesia.

:)


LUZ!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Não sou gente fofa




Não sou gente fofa.
Leio jornal, critico o senso comum, detesto muitas  pessoas reunidas e sou esquisita. 
Sim, publico coisas bacanas, falo de flores, nobreza de alma e gentilezas, chuva, céu e Deus, mas não sou gente fofa.
Gente fofa concorda, é apropriada: eu, distraída demais. Gente fofa conversa com todo mundo, fala amenidades: eu, bom português ou  palavrão (e só se eu gostar muito de você).
Sou antipática com '' gente-sobrenome'', tenho as mesmas velhas amizades, as mesmas velhas poesias e o mesmo hábito de fugir para dentro de mim, através da escrita. Ou da leitura.Como agora, que fui chamada de ''fofa'', aqui mesmo, por essa figura linda,iluminada e gentil - provavelmente uma fofa.
Não sou, não sou fofa. Sou cordial, aprendi a me portar, dou bom dia e cedo a vez, mas nada disso alcança a dimensão do ser humano nada-fofo que sou. Eu queimo, incendeio compaixão e desacerto, carinho,amor, afeto, mas detesto injustiças, defendo meu ponto de vista e faço poesias para dispersar um pouco de tanta intensidade. Eu revido, não dou a outra face. Se for de ser água, sou Amazonas. Se for de ser fogo, faço logo um incêndio. 
Não sou ''gente-fã'': se eu admiro, falo pessoalmente, mas corrijo (se necessário) e exercito aprender a ser corrigida com humildade. 
Tenho tentado o caminho da calma, dizem que a serenidade me cai bem, mas é apenas uma escolha de bem viver...estou, pouco a pouco, fazendo as pazes com o equilíbrio. Mas eu gosto mesmo é de dançar, mesmo sem saber.
Gosto de arte, leio poemas, cultivo um jardim, choro em dramas, mas confesso: detesto aquele filme que todos gostam e olha,tá bom , acho o "Titanic" um horror, um enorme drama, nem de longe, nem um tiquinho, um romance. 
Vejo filmes docinhos, coisas fofinhas, mas passo a madrugada a ler sobre o Universo, as fórmulas matemáticas que nos permitem existir e vivenciar o mistério da vida, do amor e do poema.
O meu Deus ri  comigo das dúvidas face à grandeza do infinito e a pequenez de nós e todas as nossas explicações para tudo. Ele sabe que preciso questionar, para encontrar-me plena, com sinceridade, face a face. E eu duvido mesmo.
Principalmente de gente fofa!  - Pronto, acabei com sua visão suave, deves concordar que não sou gente fofa.

Até porque, ''fofa'' ...argh! - Amarguei só de pensar. 

#


* Homenagem à uma flor de delicadeza, essa sim, uma fofa, uma doçura de ser humano, com a qual brinquei de escrever, após ouvir que sou fofa. Não posso negar, amarguei só de pensar.


*Republicado, pela revisão do filme Sierra Burguess. É, não sou flor que se cheire, mas quando regada com águas de bondade e sinceridade, dou bons poemas, acho. Ou péssimos. Sei lá.

LUZ! :)

Girassol


Não sou flor delicada
Existencial, rosa e pálida
Pronta, apta a ser beijada
Perfumada, silenciosa e apropriada
adequada ao mundo e suas convenções...

Toda som e barulho, riso e argumento
Gosto de quem expõe a carne nua
e pára para olhar as estrelas
O mundo que habito  movimenta
 e eu giro e danço desastradamente...

Não quero adequar excessos de ser gente
Nem vou caber em nenhum teatro abstrato de vida
Sinto dor, sinto alegria, faço sinfonia
Mas aprendo pouco a pouco
 as notas da harmonia...

Confesso, faço tudo errado:
Rio de bobagens, perco a hora para olhar cometas
Sinto afinidade por almas inquietas!
Nunca segui conselhos de mãe, ignoro sobrenomes
sem rimas prontas, prefiro o que se compõe no instante
e já desviei da rota segura só para ouvir uma história de amor...

Não desabrocho e despetalo sob qualquer olhar
Não vivo em estufas, necessito de luz solar
Giro aonde o calor da vida real chamar!
...confesso, não é fácil ser um girassol ou rosa fora de rota
 e viver em um mundo que pede a todo instante 
p´ra ser apropriada, silenciosa e pálida

Perdoa, preciso ser poema e prosa p´ra existir...


#


*Depois de assistir Sierra Burguess, a loser. E ficar apaixonada pela filosofia do filme.






sábado, 22 de setembro de 2018

Dos enternecimentos

nção.


Tenho facilidade em ser feliz!
Se vejo um bem-te-vi ou beija-flor
Logo, dou de conversar com a vida
Um arco-íris, a cor de uma andorinha
ah! peito enternecido, doido, movido
a detalhes sentimentais...

Mas, se  me vem tristeza, fácil de chegar
Em coração tocado de sentir, sou lágrima 
Como se o coração, magoado, jogasse o sal para fora
e a linha do horizonte redesenhasse a aurora
para que a  luz pudesse novamente entrar...

Confesso: Tudo me distrai, não sou atenta
Preciso de espaços, pois quero muito e tanto
 não aprecio trocados de emoção, mas todo encanto
E sempre peço primeiro a sobremesa
Pois é do instante minha prece e fé...

Pouco talento para autopreservação,
Nasci  abissal , pateta, dispersa, 
Como se num descuido, riso, laço, de antemão
esquecesse o passo e me projetasse inteira
nuvem que despeja seu licor sob o Amazonas...

Confesso, não  queria ser diferente.

Gosto da ternura, do sangue, da liquidez 
A pluralidade do  amor sem talvez
Delinquentemente, emoção a cada segundo
e pouco a pouco,  descubro o além-mais
Vivo, eterno vagar-mundo: 

Luz e abstração...

#

LUZ!

Primaveril



Depois de um tempo anotando pores-do-sol
as nuances do céu a cada dia que sai,
depois de perguntar porque a chuva cai
e o vento vai,

Aprendi a  não questionar a natureza.

A vida é assim: cada instante
tem seu próprio sabor
e é inexplicável, misterioso e raro:
existir é um presente muy caro.

E é incrível como a gente reaprende sempre
a redescobrir a primavera, de um jeito diferente
como se o corpo fosse hotel  de muitos passageiros
e a alma reunisse muitos destinos

fins e meios.

Não faço mais das águas do Amazonas
Berço para alma naufragar em tempo hostil...
Junto o coração, sinto a maré dançar:
Não brigo mais com Deus,  recebo a vida

 e o dia que vem: Primaveril.

#

É, o cio da primavera floresce.
E este poema brinca de brindar a vida,  a Estação em flor e este Deus lindão que criou o calor, o frio, a luz, a escuridão, as flores...e nós, com nossas perfeitas imperfeições.
E a tudo em nós que é amor, luz e flor... bom dia!!! :)

LUZ!

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Eu, Velha Boba Demais (Devaneio Sentimental da Sessão Velha boba)


   Há tempos, meio que intuitivamente, criei duas formas de conversar em prosa, aqui no aluanaodorme. A sessão da 'velha boba'', onde falo um pouco de conceitos e formas de ver o agora, por meio das lentes de alguém que possui apreço por coisas antigas e a 'filosofia do boteco da lua', divagações sobre as trivialidades existenciais necessárias, que nos inquietam.

   Acho que toda expressão, seja escrita ou musical, leva um dedinho de nós. A prosa arranca pedaços inteiros. Como a paixão por coisas antigas, o dedo torto para a filosofia e astronomia, além da sempre presente poesia! Bom, confesso que não foi escolha. Se nós somos contexto e fios de inexplicáveis conexões, sempre tive um olhar que gosta do retrovisor. Algumas das pessoas que mais admiro e sou amiga são pessoas que vieram para o mundo bem antes de mim. 


   De outro modo, nunca fui adepta do conceito utilitarista de que 'o novo é  sempre melhor'. Gosto mais de costumes antigos, músicas, livros clássicos, filmes em preto e branco, ou com aquele colorido pálido das películas antigas, canções e até roupas! 
   Aprecio mais constância que mobilidade, embora goste e faça uso da tecnologia, que permite chegar até você, do outro lado da tela. Sim,a modernidade tem suas conveniências. Mas, fora do conforto que levou o clássico para a nova era, onde tudo pode acontecer, confesso: eu nasci fora de 'moda'. 
   Gosto de música instrumentalizada, de poesia de Camões e Shakespeare, ando por velhos brechós e sebos, que circulam coisas que não são mais feitas ou artigos raros. Nasci quando meus cantores favoritos já faziam sucesso há décadas, alguns já tinham morrido. As canções que mais emocionam ao meu coração são de histórias que já dormem no tempo pretérito - o local onde mora a perfeição.

   Isso tudo me tornou uma pessoa um pouco fora do meu próprio contexto e decerto prejudicou minha sociabilidade e capacidade de associação. Mas, por outro lado, manteve a poesia dentro de mim, que é onde a vida acontece. Sou mais das histórias de amor e das utopias, do que da moda distópica do momento, embora Kafka e Huxley tenham um charme impressionante e sejam minha grande exceção. Estes senhores de  1800.  

Aliás, também sou assim quando penso e exerço amor. Respeito as milhões de formas como ele se manifesta em cada um de nós, mas, particularmente, prefiro as coisas únicas.Tanta gente em mesmos espaços sentimentais já gerou muita desapreciação  do que realmente importa em uma relação, como  a cumplicidade, o companheirismo, a lealdade emocional. A modernidade sentimental confundiu liberdade com individualidade, amor próprio com egoísmo...enfim. Também vitimou a doce existência do...Romance! 

   
   Não entendo muito como a humanidade chegou a isso e tornou essas conceitos coisa de 'velho'. Nesse sentido, já disse Belchior, 'precisamos todos rejuvenescer'. Devo ter me tornado cedo uma velhinha que varre o jardim, lê livros e toma chá. E gosto disso. 

   Bom, cada um de nós está aqui para crescer, anotar percepções, ser feliz de acordo com a percepção íntima de cada um.  Quanto a mim, sigo nesta fé.  Eu não quero ser mais uma, um número (Como um CPF ,senha, C.I) em nenhuma 'multidão'. Não quero ser nada que não seja absolutamente autêntico, único na dança.  Não quero chegar, já com planos de ir...quero todo sonho que a vida me permitir! Sempre. Sim, eu sei. Parece piegas. É como disse Belchior: "Quero que esse seja o meu brilho, e o meu preço". 

   Mas, longe do puritanismo e do acesso perfeccionista, sei que a vida é plural e linda e que todos nós somos universos sentimentais em coabitação ou colisão. E cada um, tem sua própria verdade e beleza. Então,desejo que o amor, para mim e para ti, se mostre e se adeque ao seu sonho e à sua realidade. E que seja bom, da forma em que se fizer possível. 
#

*Republicado, pois concluí HIMYM pela sétima vez e isso sempre me dá uma bruta fé na vida.  :)

LUZ!

Premissas



Para a formiga,   pingo d´água é tsunami! 
Passo pode ser pequeno ou largo espaço vencido pelo corpo...
A bilhões de anos-luz, do Cosmo,  Terra é grão de areia!
Poeira Cósmica Iluminada por uma pequena estrela...

Lágrima pode ser mar que sai do peito,  tempestade que se vai!
Então, o que será que tem tamanho, senão a nossa percepção?...
Longe pode ser a 2 centímetros e 'eu te amo' pode ser 'até mais'
Canção pode ser blues ou jazz, 'te cuida' pode ser 'tanto faz'...

- O que será que faz sentido, senão o que o coração traz?
Abissal, a vida é assaz... Não responde, simplesmente acontece.
Ontem é o amanhã do anteontem, verbo perfeitamente conjugado
 - O que será que é o  tempo, senão o correr do espaço em movimento?

Do big ben do milho nasce a Pipoca,  da dor ostra nasce a pérola
Se nada jaz,  o que será que tem formato senão a nossa percepção?
Viver é qualquer coisa entre a última rima e o instante seguinte da emoção
E a gente, amiúde, tenta entender,  mas é sempre mistério, poesia, métrica...

ou abstração.


#

Da leitura de "Cosmos", do Carl Sagan, paranóia surgiu e ganhou asas, pegou emprestado Rubem Alves e  uma doses da estética de Isnard Lima (o Bukowski amapaense)...e voou (risos).
De longe, minha melhor leitura sobre o Universo nos últimos 2 ou 3 anos. Livros...sempre paranóicos. Por isso, aprendo cotidianamente, que  preciso rotineiramente desaprender.
O Universo é elegante demais. Nós também.
 :)

LUZ!!!

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Aprendizados





Aprendo sobre entardeceres 
A cada cor do sol
Pores de vida acontecem
às vezes, à meia noite

Procuro uma rede tecida de paz
Para embalar...

Demoro a entender a maré de existir
Mas sei,  às vezes, Naufragar é preciso!
Levo no bolso pedras  e abismos
Rego a flor de amores imperfeitos...

Aprendi a ver  nas estrelas o perfume do ar
Mas a gente nunca sabe o que está escrito
Nos muros do querer, há perfume e mistério!
misto de  perder e encontrar...

ah! ... Reinvento caminhos
como quem  faz imprecisa  prece ao coração
Desconfio que viver é brincar de riscar na areia 
a secreta poesia particular da emoção.


#

E é também aceitar que a vida, o amor, o tempo e a própria existência  é poesia secreta e particular de cada um e em cada um,exerce seu perfume de forma diferente.
Peço a Deus que permita a cada um ser, da melhor maneira, feliz!!!
Prece Universal.

LUZ!



segunda-feira, 17 de setembro de 2018

A terceira Lei!



O chão bate na bola
E a face bate na mão:
A força não é contrária:
onde aplicada, tudo é direção.

Assim...minha mão, tua mão
Escolhem apenas se encontrar
Pois, no avesso do verso
A palavra fere - Pode até matar.

Heróis são vilões
Em outros distópicos universos
Nada é estático: A força muda 
O universo é complexo.

Complexo e natural
Como eu...como tu
Sem dramas ou tristezas
A mão que afaga -já disse o poeta - 
é a mesma que apedreja.



Assim, é de mim e de ti, que me lê, a obrigação e o prazer de direcionar nossos esforços no Universo,  para esse bom caminho. Assim seja! <3
*Republicado de 27.01.2017, pois foi acessado e, por curiosidade, acabei de ver.
É...a terceira Lei de Newton é parte do meu gênio ruivo e,talvez, parte do que  gostaria de não ser. Mas, na Lei de Gonzaguinha " é viver e entender..."


LUZ!

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Une versais!



Sim, é tudo meu:
meus passos, minha canção
olhos no azul da imensidão
a mão adocicada de poesia...

é meu o riso,
é toda minha a palavra Amor
suas cores e  significâncias
e  o dia que nasce é meu também...

é minha a borboleta amarela no jardim
e quero-a assim: livre, pela estrada
na perfeição da noite enluarada
caminha a  fé nas coisas doces...

Sou eu a lua crescente pendurada 
No manto estrelado do mundo
E, ao mesmo tempo, sei:
Nada disso é  sobre ser (m)eu.

Estamos todos: céu e planetas
e até a palavra Amor
dentro de um universo elegante
que movimenta a todo instante 

mistifica, exala e convida ...a  desvendar.
#



E, nesta caminhada, tudo que eu sempre desejo para mim e para você que me lê é, em uma palavra, aquilo que Deus (esse ser 'porreta' que está com cada um de nós) é...

LUZ!

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Amor de Setembro


Era manhã,
Chegaste com o cheiro da rosa
Amor de setembro!
amor de minha vida!

Sorriste como o ipê florido
que rasga o céu sem machucar!
Pele e alma macia,
Luz,estrela pequenina...

Trouxeste as lições de um fino traçado
Enfeitaste a primavera com tua cor,
tão delicado bordado
nosso gesto, elo de amor...

és vida tão festejada, 
doce amor de setembro!
Eu bem me lembro,
era manhã... 

#

Para Julia Rocha, no dia em que nos deu a alegria de vir ao mundo. Eu te amo,
Felicidade é o que te desejo. Receba a minha bênção, todos os dias: eu te bendigo.

* Publicado na Antologia Poética" Poemas, Poesias e outras rimas", o meu amor por você, pequeno feixe de luz que se expande e ganha o mundo

Amadores!





O amor dá a mão às três da tarde
Cuida daquela febre e dor do domingo
Mas também é aquela tarde de riso
Inteiramente entregues ao conforto de existir...

Amor deixa café quente na garrafa
Beija e abençoa antes de pegar a estrada
Vai já com vontade de voltar
grata certeza de querer ficar...

O Amor é  profundamente leal a si, em si
beleza que te nocauteia no meio da madrugada
deixa recado na caixa eletrônica,
erra,tropeça e volta, assustado

entre o perdão e o colo...

Amor ensina tudo, menos como amar
A paciência para aquele hábito esquisito
a geografia das palavras do outro, sempre repetidas
 e o vocabulário terno das coisas bem-vindas...

Amor leva ao futuro, ao antes e depois
Vive entre o agora e as promessas bem-cumpridas,
Mistério profundo:  não tem  PHDs, mestres ou doutores
No espaço de sentir, somos todos amadores.

#

*De rever o último episódio de HIMYM e pensar no quanto eu acredito muito e tanto naquilo tudo que está ali....e quanta beleza e aprendizado há na pluralidade de ser vida.

LUZ!