quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Umas e outras sobre o tempo



"Já passou",
Disse -me ele quando soprou
meus joelhos feridos
E eu chorava, porque criança ao sentir dor
Exprime todos os gemidos...

é, já foi...

Mas é como se ainda estivesse aqui
Vestígios de joelhos ralhados
 (Síndrome do membro amputado)
Casinha na árvore, amor cultivado

- A gente precisa de ter memória para reter aquilo que, no agora,
Virou história...-

Mas, lembra de mim?

Haja coração para tudo que ontem passou!
Cresci e agora  brinco de colecionar saudades
Dias inteiros dentro de um igarapé
Olhar o mundo e respeitar o tempo
o vento e a maré...

Dorme agora...aqui, em mim.
Já fui tanta gente e nunca uso relógio 
O tempo passa e tudo que fui esquece de passar
Trago velhas notícias para o lado de cá
E gente que amei e que guardei no revoar das tempestades...

Sou a mesma menina, acrescida de novas roupagens
A pele já tem tatuagem, o coração já tem cicatriz
eterna aprendiz de ser gente, desafio-me a ser melhor
E crio laços e elos guardados em SOL maior...

Alô, Santana...
quanto amor pela infância nas ruas de terra batida!
Alô, Macapá...mudança de rotas
Realidade, esquinas de minha vida!

E a você, que fui, até ontem,
antes de dizer toda forma de até breve,
Que pode ser um segundo, um minuto ou a eternidade
A gente se encontra no espelho, 
Na teoria do eterno retorno, a gente se esbarra

- e se percebe -


#



LUZ para o passado, para o Presente (que é tão bonito e a única certeza), e para o que virá, que depende do revoar de nossas próprias asas...
Que todo aprendizado de lá de trás nos traga sabedoria para uma vida ainda mais feliz, porque lá, já foi bem bonito e a responsabilidade é de ser ainda melhor, de ''ontem em diante''.


LUZ! Luz! LuZ!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Responsabilidades ternas



O dia vem, vestido de azul
Céu limpo, tempo claro
O resto é abstrato
Ainda não se deu de descobrir...

A vida tem uma lógica particular e clara:
Mesmo o que o olho, neste instante vê
é feito de coisas milimetricamente passadas
Assim, somos eternos viajantes do tempo

Apenas demoramos - ou não percebemos...
(O quão importante é o momento)

E eu,
Quero toda a paz que puder construir - Bons ventos!
Momentos e emoções blindadas de poesia
Caminhar de par em par com o riso, a bondade e a poesia...

E é sempre agora - escolha que não se demora
Um segundo pode mudar definitivamente a rota
Responsabilidade terna - é a meta.
Pois alguém me disse que sou  a dona da história...

Responsabilidade com a minha emoção e a de quem toco!
Pois somos canções e perfumes, permeados de carne, suor e sangue
Encarcerados dentro de corpos que só podem caminhar um passo por vez
Feito um rei dentro de seu próprio jogo de xadrez...

Por isso, para mim e para ti: "Amor e compaixão"
Dentro de um mundo onde tudo é tão confuso
Somos elos em conexão em uma imensa jornada
Fontes de luz que se encontram, dispersam e convergem

Em busca de nossa íntima e interconectada estrada...

#

Dias bonitos. :)

LUZ!


Mais de Mil Vezes,amor!



Vai levar tempo,
Respiração, espaço
Para caber o tamanho deste laço
Em uma caixa colorida, escrita...'passado'...

é tolice, eu sei...
Não se encaixota o que é leve, feito de ar
Inerente como respirar
As coisas simplesmente se transformam...

Ontem fui àquele lugar do passado
Onde éramos puros de nós
Foi tão bonito re-cor-dar!
As coisas doces que quero guardar
bem dentro da palavra 'gratidão'...

Distraidamente, sigo o destino
Não notei para onde teus passos foram na areia
Aprendi tão novos bons caminhos!
-Mas ainda sopro para o céu, em tua direção,
 minha melhor bênção.

De todas as esquinas viradas,
Meu bem, muito obrigada!
Pelas coisas lindas - eternidade da memória-
Perfeita beleza guardada em algum lugar da história...

E foi nos teus pés que dancei
Mais de mil canções de amor
E nem ligaste para meus pés tortos
O jeito de menina desajeitada... muito obrigada!
- Sigo com o aroma das pessoas muito amadas -

E a certeza esquisita
De que 'somos quem podemos ser'
Mas, o amor nos faz crescer, vencer nossas tolas convicções
E ver nascer mais de mil vezes
Outras formatos em mesmas emoções...

#




sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Ambiguidades



É das sutilezas que nascem os furacões
transgressões de uma matéria leve...
Breve, breve:  Feito  tempestade, 
Água agitada, logo se desfaz...

O que fica é a essência das coisas 
Feitas de bondade, amor, alegria
Aquela aquarela pintada, as noites de nostalgia
A vida é tão bonita, sabe se redesenhar...

Por isso, nada é adeus.
Tudo é até breve!
Almas entrelaçadas, temos milhões de vidas
Existir é  lindo e tudo é tão interligado

O amor cultivado sempre encontra caminhos
Como amantes desencontrados,
 ou um pai que abraça a um filho
Existir é saber ser voo, mas também ser ninho...

e a vida é harmonioso desalinho
que encontra , com sua imensa sabedoria
Com mesmas vestes de vivências
Fazer outras poesias...

#


Um dia cheio de luz e de amor - o elo, o bem e a força mais poderosa que podemos construir.
E (re)significar.


LUZ!


quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Das coisas que eu vim fazer aqui




A gente está aqui para aprender a voar no fim de tarde
Barcos de papel marché em busca do horizonte
Ao sabor de um ardente sol...

E sabemos tão pouco
Do tanto, do gesto
Do multiverso que abriga cada um...

A gente está aqui, sem dublê
E tudo é movimento, vida, ação
E a alma se bate toda no imenso labirinto
enquanto quixoteia moinhos de vento...

Parece que a gente devia ter vindo
Com manual de instruções
Quiçá, bula de contra-indicações
Com tarja de aviso:  “Advertência: risco de dano severo às emoções”

E no reverso, a gente se faz de grande navegador
E descobre um mundo novo a cada abrir de olhos
E corre a vida só para não cair na apatia
De ir com a maré...

A gente veio ao mundo
Desinventar de ter medo
E aprender com a aerodinâmica sutil da borboleta!

E no meio do caminho, a gente prova-vida:
Manga, suor, sorvete: Existir é um banquete
Cada um se serve como pode.

A gente veio ao mundo se espantar
Cair de amores pelo pôr do sol!
Encher os olhos d´agua de ler um Pessoa
Vibrar numa matriz particular (Ou simplesmente  mergulhar n´uma lagoa)

Só não vale não se apaixonar
Não experimentar, não mover com força o próprio coração
Não se encantar, não arriscar, não se vestir de luz e cor
Só não vale não ser , falar,sentir, doar...

AMOR.

Diga Adeus



Vire a esquina,
Tome o último gole de café,
Caminhe até chegar.
Ou partir...

Não seja de metades.

Meio-amor, meias-verdades
Garoa fina, vento que não muda as folhas de lugar...

Tome um porre,
Faça planos,
escreva  todos os poemas
Toque mil canções de amor p´ra um único romance

Pense que chegou ao fim,
Só para renascer:
Dê-se a bênção de seguir viagem...

Mesmo que leve um pouco do antigo porto
Dentro da emoção
Um pouquinho a mais de amor sempre cai bem
E já disse o grande filho da bondade

Tudo é eterno retorno, mar, vai e vem...

Diga adeus apenas ao que doeu.
Àquilo que de tão pobre, não valeria uma estrofe
O que foi vidro disforme e não cabe no vitral
Afinal, já disse o poeta: "Deus não queria"

Ele é paz, bondade e poesia
Inteireza que se manifesta em nós
Com generosidade.
Não seja de metades, garoa que não molha

A vida é perfume, flagrante: Não se demora...

#



" E as coisas boas estarão sempre estarão aqui"


domingo, 6 de janeiro de 2019

O dia vai, a vida vem!



O dia vai, a vida vem, imperiosa
Além de tudo que a gente imagina
é, a manhã chega, para todo mundo que  respira, inspira...e acorda!
Há infinitas cores pintadas no céu da poesia.

É, já disse o poeta: 
viver é um rasgar-se e remendar-se...

Colcha de retalhos mais do que sentimental!
Somos além do "era uma vez",  sob a exótica luz da vida real
A construção de um eterno agora
Que, de piscar os olhos, virou passado, memória, história...

Então, sejamos! Predisposição às cores do dia
Aprendizados confluentes que se entrecruzam
E depois seguem - juntos ou separados -
Seu próprio e particular destino...

(A força dos acasos já previamente combinados
- Alinhamento, aprendizados, desalinho - )

Por isso,  "Adeus!" e "Bem-vindo"!
Digo sempre à menina ao espelho
Não para pessoas, fatos, memórias
Mas tão somente aos seus  (im)próprios medos...

E hoje estou feliz, mas sei...é tudo tão breve.
Nem por isso, menos mágico, bonito, diferente, especial e importante
Pois, quanto mais o "felizes para sempre" vai embora
Mais dou espaço às felicidades cotidianas do instante -
Afinal, já disse a astrofísica: é sempre agora.

E o dia vai e vou com ele, acordar para o amanhã e suas cores
O mundo é mesmo tão cheio de surpresas e sabores!
E enquanto respiro, quero descobrir milhões de formas de dar mesmos sorrisos
Fazer e ser motivo para ainda mais alegria

Dançar a canção da vida
- Bailarina de pés tortos-
Mas em paz com meu próprio ritmo.

#

Vamos dançar em paz com quem somos, fomos...seremos.
" É sempre agora "

LUZ!!!


sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Maktub



Escrevo um poema a cada sentimento,
Num eterno sente e psicografa a vida
Como quem corre atrás de vaga-lumes
Nas estradas escuras ou noites coloridas...

Penso em cada linha, passos, afetos!
Agrego verdades e perdoo mentiras
Desisti dos passos sempre entrelaçados e certos


Faço em pontilhados minhas próprias linhas.

Caminho, Sina:
Destino, arbítrio: 
embaralhadas teorias!
Enquanto escrevo, papéis de carta enfeitam a cor dos dias...

Faço perguntas tolas para o céu:
Não sei se sou quem deveria ou escolhi me ser
No meio aleatório de coincidências e possibilidades
creio num pai bondoso que decide nos dar o dom do movimento

De fazer acontecer.

Como um jogo de xadrez:
 a gente analisa as perdas e ganhos de cada movimento
Mas, por um segundo desatento, podem se perder grandes chances
É então que  Ele,  grande força  amável e tolerante

acerta o tempo e reescreve o instante.

É, o tempo é sempre bondoso, mesmo quando não deveria
E nos diz entre o certo e o errado
Verdades que nenhum de nós, antes do momento certo
Acreditaria.

Então, 
"Estava escrito" e "tinha que acontecer"
Mas a estrada é sempre nossa
E nosso é o dom de fazer valer.

#


" Maktub,Particípio passado do verbo Kitab.É a expressão característica do fatalismo muçulmano.Maktub significa: "estava escrito"; ou melhor, "tinha que acontecer".Essa expressiva palavra dita nos momentos de dor ou angústia,Não é um brado de revolta contra o destino,Mas sim, a reafirmação do espírito plenamente resignado diante dos desígnios da vida " (Oriente, na canção "Vida longa, mundo pequeno")



Bons caminhos, para mim e para ti, que me lê.

LUZ!

Ternura!



Depois da última tempestade
Aprendi a apreciar as calmarias silenciosas...
as águas das mansas garoas  
nestas noites tropicais...
As longas  prosas
Seguidas de risos bem bobinhos!

É, o bom da vida deve ser assim...

Alguma coisa entre um poema, uma série na TV
Ou amanhecer falando amenidades
Ou quem sabe ficar à vontade, sob os sons da noite...
Alguma coisa além dos romances de folhetim
 - tragicomédias bem narradas
Em palavras de festim...

Sentir, então, deve de ser bom assim:
Sem grandes elos complicados
Só uma bonita aquarela para pintar o dia!
Corações entrelaçados
Desenhar sorrisos de alegria
Caminhar em par com a paz e a poesia...

Mas, até que a gente descubra esse exótico mistério
O Universo faz troça da nossa pouca experiência com o caos
De um coração que só nasceu para bater forte
Confunde antídotos poderosos com venenos
Afinal, somos questão de dose: o bom e o mau.
E haja alma para sustentar os cortes!

- Ser gente é mesmo assustadoramente abissal - 

E ainda hoje bem disseram, como o mundo vai mal...
É que há quem esqueça de tirar a máscara após o carnaval
E até quem ria de quem fez chorar...
Confesso, tenho pouco anticorpos para esse tipo de loucura
é que, de tanta poesia, o universo que habito

Só sabe reconhecer o que é feito de ternura.

#

Graças a Deus, apesar de tanta coisa chata no noticiário, da política cada vez mais segregadora, reflexo das pessoas...ainda há espaço para falar e fazer coisas bonitas.
Um amanhecer cheio da melhor versão de nós. :)

LUZ!

Café com Deus (Retalhos de pequenas inconclusas descobertas)


Alma,alma: ainda tenho muito a desvendar p´ra saber quem sou!

Todos os dias, reúno pequenos pedaços
Brinco de quebra-cabeças com a memória
às vezes, lembranças são feito roupas espalhadas pelo quarto
Perfumadas dos percursos caminhados
Algumas, já disse o poeta, nem nos servem mais...

e é preciso limpar o varal da emoção
Sentir o cheiro das coisas novas e arejadas
Recém-nascidos sentimentos são mesmo tão lindos
A gente rega de afeto e espera nascer o melhor de nós
N´um outro alguém...

Ainda assim, guardo com enorme gratidão
Alguns fins de tarde
Outras horas mansas declamadas, 
as coisas lindas ditas,findas e feitas
Guardadas na estante das histórias encerradas...

Depois desse último livro,
Confesso que nem sei dizer de quantas formas um mesmo amor renasce.
Mas sei que ele sempre dá um jeitinho de voltar p´ra casa
Daí as cantigas de amigo - que falavam de histórias apaixonadas...

Às vezes, no meio do turbilhão de ser eu 
Sento e convido a Deus para tomar um café comigo
Nestas horas, falo a ele que viver é mesmo um perigo
Mas que, em tudo, é também um enorme aprendizado
E entre as coisas que estavam escritas e as que apenas acontecem

Maktub - Sentam elos inexoravelmente formados...

E eu agradeço aquilo que não entendo
E voo leve dentro de um céu azul de novas possibilidades
O mundo é tão grande e quanto mais descubro espaços
Mais sinto o coração ganhar em crescimento e generosidade
E sei da responsabilidade que é poder sentir a vida assim...

Mas eu ainda olho para o céu azul e peço a bênção a meu pai
Conto uma piada ou rimo uma poesia antiga
Queria embalar a Júlia pelo menos umas mil vezes
antes de vê-la sair e enfrentar a vida...
E ainda sigo encantada, subjetiva, lúdica, maluca e colorida.

Alma,alma: ainda tenho muito a desvendar p´ra saber quem sou...

#



Apaixonada por essa canção, nos últimos tempos.


LUZ!


quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

As coisas que valem o poema


Poema Visual de Maria Represas

Acho que não sei dizer nada
Que não seja...bênção! 
As coisas que valem o poema
Não podem ser diferentes: 

O dia  nasce
 e só consigo desejar bons dias
O coração é um pássaro azul, 
pulsa e diz: love is good.

E tem perfume e  açúcar
Na prateleira da emoção
Aquela poesia descaradamente bela
Uma aquarela...pintada na face

E fica dentro de nós toda beleza e  arte
Para emoldurar as paredes de quem estamos
Construções aleatórias de um arquiteto brincalhão...
- Projeto de vida, todos os dias, inauguramos - 

E sempre tem uma piada torta,
Uma canção antiga e umas alegrias
A luz se insinua por sobre as frestas
Chega o sol, café e nostalgia.

E quem a gente é no agora?
Deixa o tempo contar sua própria história!
Nascem as próximas 24 horas...
Por que antecipar? Se tudo acontecerá

Segundo a segundo...(é a lei do mundo)

E o coração tá quente do johrei 
Que recebeu no olhar da Maria
Luz que inunda tudo com um tipo particular de magia
 - Como se Deus estivesse num abraço
daquelas  mãos de poesia - 

E o noticiário permanece assustador e alucinado
Só para lembrar que o tempo é precário
E é preciso  sentir cada surpresa, susto e dilema
Porque a vida, meu amigo: é um mistério!

 e a gente só leva as coisas que cabem dentro de um poema.

#

As coisas que pelas quais viemos até aqui... são as que cabem dentro de um poema. 
Deixo o dia embalar ...

:)


LUZ!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Prosa poética (P´ra 2018 adormecer feliz)



Arrancar pedaços das asas
Para deixar leve o voo
Fortalecer o peito no revoar do tempo
Força que nasce, fonte que brota

Vida, vida: De tanto (en)cantar
Nasci rouca! Nem chorei
 Por deslumbre de existir...

Vem, 2019, senta aqui!
Conta quem vais ser p´ra mim
E eu te mostro quem descobri que sou
Na roda da vida, 

 depois que uma flor nascida d´água e sangre brotou...

É, chega mais uma etapa no calendário
E dizem que o mundo rodou 4 estações novamente
No equador, choveu ou fez sol o ano inteiro
e há uma estranha beleza dos novos ventos de dezembro...

Veja, a vida é mesmo muita louca, Maluquinha.
Sossega, apavora, surpreende, aporrinha
E no meio disso, faz e traz tanta beleza...
Quem diria?

É, 2018...
Se alguém contasse, não acreditaria.
Mas, quem diria?...tudo em ti foi tão feliz!
Mesmo a lágrima mais doida regou a raiz

e de lá, brotou uma flor renascida
Pintada de todas as cores
Cheia de poesia, assombro, 
vontade de ainda mais vida!

...é, 2018, quem diria?...

#



* Clipe e canção da minha vida!
Porque certas coisas, são tão nossas...


LUZ!!!


2018: Ano da Gratidão!



Cabalisticamente, 2018 é número dois, par. Número bom, de com-panhia, de par-ceria.


Olho para o último dia do ano com surpresa do que foi feito desde o dia primeiro de Janeiro. Mas, realmente, não faltou parceria , em nenhum momento.

É, a moça ao espelho está magicamente crescida, dá um orgulho de sentir!  Tanta coisa louca, maluca, intensa e inexorável...como colocar em palavras? Não sou de retrospectivas, acho que a gente sempre colore de um jeito meio que diferente do real, mas resolvi tentar...

Chego ao final de 2018 com a marca pessoal do amor - que tanta gente diz que é minha 'cara'-, com o coração cheio de verdades bonitas e as mãos leves, sem pedras, apesar das que doeram o coração nos dias que se sucederam...Eu não sei dizer o quanto sou grata a esse ano!

Nele, eu reencontrei o amor pela minha profissão, através de uma antiga PARceira de muitas vidas, minha irmã, com quem aprendo os caminhos bonitos do Direito Penal e como é lindo e uma grande responsabilidade tocar no universo das pessoas a quem a mão do Estado feriu ou tocou erroneamente.

 E entendi que um dia longe de quem eu amo pode ser os próximos cem dias de outra pessoa junto dos seus, em uma estranha matemática que só agrega...afeto. E isso dá uma responsabilidade grudadinha no pé da barriga e uma garra que aquece a veia, para estudar mais, conhecer mais e assim, tocar com responsabilidade a vida e o universo alheio.

Em 2018, segui em PAR com minhas amizades, em uma cumplicidade que atravessa os anos e me diz que é uma alegria ter um círculo de confiança tão forte ao meu redor, um círculo de tanta fibra, pessoas que amo e admiro de maneiras tão diferentes...

Até onde não fui par, fui minha parceira, minha amiga, aprendiz de mim, a moça ao espelho. 

E também fui par de quem deixei de ser propriamente um par, porque afinal, quem sabe dizer de quantas vestes se faz uma parceria e de quantos muitos formatos as coisas se transformam?...é, vida, uma coisa é certa: 2018 me trouxe a quebra dos contos de fadas e a  certeza de que a 'bruxinha' da maninha agora sabe construir histórias mais bonitas dos que aquelas que leu e achou que queria ser parte...e dá um orgulho danado disso tudo. 

E um susto, mas um susto bom, de quem se permite ser surpreendida, surpreendida, ressignificada e reconstruída... 'Caramba'! que ano bom.

Em 2018 eu vivi cheia de amor, amor transbordante, amor transformador, amor renovador e motivador. Foi, esse ano foi cheio de tanta coisa legal, que me sinto levemente ansiosa e não creio que esta escrita esteja boa  - justamente por isso. 

Foi do jeito que eu gosto: intenso, inteiro, parceiro e transformador. Muito transformador. Nele, aprendi o real sentido do "Deus não nos dá tudo o que queremos, mas sim o que precisamos". Porque sim, foi assim mesmo. 

Então, ao ano que chega, mansinho: Bem-vindo!

E ao ano que finda, um Manoel de Barros, minha forma de agradecer a Deus e a cada pessoa que fez parte dessa longa transformação e desse voo bacana, que tem me levado cada vez mais na construção da pessoa que eu quero ser...Gratidão!

Por isso, de  2018 levo...amor, paz, espiritualidade, crescimento e...Gratidão!

AS BENÇÃOS 


Não tenho a anatomia de uma garça pra receber
em mim os perfumes do azul.
Mas eu recebo.
É uma benção.
Às vezes se tenho uma tristeza, as andorinhas me
namoram mais de perto.
Fico enamorado.
É uma benção.
Logo dou aos caracóis ornamentos de ouro
para que se tornem peregrinos do chão.
Eles se tornam.
É uma benção.
Até alguém já chegou de me ver passar
a mão nos cabelos de Deus!
Eu só queria agradecer.


(Manoel de Barros)