quinta-feira, 23 de março de 2017

A um Estranho* (Walt Whitman,traduzido)

*Walt Whitman é considerado o pai do verso livre na poesia americana.
Estranho que passa! você não sabe com quanta saudade eu lhe olho,
Você deve ser aquele a quem procuro, ou aquela a quem procuro, (isso me vem, como em um sonho,)
Vivi com certeza uma vida alegre com você em algum lugar,
Tudo é relembrado neste relance, fluído, afeiçoado, casto, maduro,
Você cresceu comigo, foi um menino comigo, ou uma menina comigo,
Eu comi com você e dormi com você – seu corpo se tornou não apenas seu, nem deixou o meu corpo somente meu,
Você me deu o prazer de seus olhos, rosto, carne, enquanto passamos – você tomou de minha barba, peito, mãos, em retorno,
Eu não devo falar com você – devo pensar em você quando sentar-me sozinho, ou acordar sozinho à noite,
Eu devo esperar – não duvido que lhe reencontrarei..."


P.s: Whitman é meu poeta americano favorito. Sua escrita me angustia e afaga, ao mesmo tempo.Confesso que nutro por Whitman, muito e sempre, um grande amor. 
* Fonte:https://escamandro.wordpress.com/2012/02/02/alguns-poemas-breves-de-walt-whitman/

Nenhum comentário:

Postar um comentário