quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Super-Heróis somos nós (Devaneio)

 
Dia desses eu estava chateada. Muito chateada com acontecimentos do dia, com o conteúdo que não vencia, com a 'infinita highway', que parecia tão longe e confusa. Eram algumas daquelas ''horas existenciais'', pelas quais passamos, vez ou outra.
 
Aí, passei em frente à uma casinha cheia de flores, no bairro do trem, e recordei que lá mora uma senhorinha simpática, cujo nome parece de uma flor. Ela me foi apresentada em um conto, pela Alcinéia ( Cavalcante), em seu livro "Paisagem Antiga".

Depois, parei na padaria e tinha meu bolo favorito, quentinho, daqueles que desmancham na boca! Passei por uma mangueira e recordei de um pescador que colhia o fruto maduro e levava embrulhado em papel de presente para casa. E havia até um pequeno arco-íris no céu mortalmente claro e calorento de Macapá.

Cheguei louca por um banho, mas parei um tempo em meu bagunçado jardim( Cuidarei dele para o natal, papai do céu,prometo). Mas minhas lindas vincas, plantas de fácil cultivo e natureza, estavam lindas! Me recepcionaram com seu perfume. Então, Sai para estudar quase arrastada. Liguei a rádio e tocava a música pop engraçadinha " Ter fé, pois fácil não é, nem vai ser", o que me fez refletir que, afinal... o que é  fácil ou difícil?

O fácil e o difícil são uma questão de perspectiva e alcance. Por exemplo, para mim, uma tampinha de 1,59cm, é muito difícil pegar coisas na parte de cima de armários, feitos para pessoas medianamente altas. É difícil andar rápido, porque minhas limitações físicas e poéticas me levam a um caminhar mais lento, o que frequentemente atrasa meu tempo: culpa das borboletas e das cores do céu!  

 É difícil dirigir, pois tenho pouca percepção de espaço e perspectiva, enquanto para algumas pessoas parece uma faculdade inerente. É difícil dizer adeus, pois fui ensinada que ''a medida de amar é amar sem medida'', e sou mais de 'cheganças' e continuidades...por isso hoje, escolho e acolho a transformação.
 
Mas, por outro lado, é fácil também. É fácil sentir o cheiro da rosa ou reconhecer o perfume de um amor. É fácil lembrar da alguém, em uma canção. É fácil ficar feliz, só por dividir um sofá, depois de meses sem ver a sua irmã. Ou a alegria de tomar um café e permitir que o dia te encante, apesar dos desencantos do cotidiano. É fácil ler um poema e deixar os olhos ganharem aquele ardor gostoso, de alma molhada de poesia...

É fácil e difícil para todo mundo, de diferentes maneiras e perspectivas. Isso se repete mesmo na ficção. Os super-heróis têm limitações! Meu favorito, por exemplo, tem por fragilidade o fato de ser um... Humano!


É, Batman. Todo mundo tem um dia difícil.
Todo mundo é herói e vilão de si: Perspectiva.


 
*Publicado originalmente em 21.11.2014.
 Republicado (e revisado) por muitos motivos: esse conto foi a primeira vez em que conversei com um livro de uma grande amiga, com quem hoje troco palavras para além das páginas amarelas.
E porque é bom olhar o lado bom da vida, que transforma nossas dificuldades em riso, leveza e paz.
Gratidão,vida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário