segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Translação...(2013)



Rodam - moinhos...rodam piões!
tonteiam sonhos meus entre estações...
Passaram-se como? Inverno hostil
meses aglutinados e doce atemporal abril...

Sementes nascem, botões florescem
sóis que nasceram...luares que anoitecem!
Nem tudo está perdido,diz antigos ditados
Olhemos para os lírios no campo aglutinados...

Roda-moinho...roda-pião!
O mundo completou em rota e  ação a translação?
O que pulsa é busca pelo que não se sabe bem...
Para todo 'por quê?' - um 'para que? e um amém.

         E bailam na bomba -O relógio-  as ilusões perdidas
            O segundo profundo que faz a esperada divisa
             Ainda traz as mesmas sequiosas multidões  
            Com suas fúrias, medos, ânsias e paixões!...#   



Feliz  Sempre, querid@s. Antes e depois do segundo da esperada divisa...
Com "os perfumes do azul" (O globo) ,como já disse o sábio poeta... ;)

2 comentários:

  1. é sempre um prazer te ler!Gosto tanto dos seus versos, faz bem pros olhos e pra alma! =]

    ResponderExcluir